Para falar de gente, de seres humanos, do bicho humano perfectível, apesar de tudo. Do Animal sapiens, mas a partir de agora do "Homo spiritualis", com sua fé e religiosidade muitas vezes confusa, gerando preconceitos, discriminações.

17
Set 11

Admirável Mundo Novo - Aldous Huxley

                O ano era 1932. O mundo vivia um crescimento acelerado do capitalismo e um desenvolvimento tecnológico nunca visto antes. Foi em meio a essas transformações e evoluções que Aldous Huxley escreveu seu maior romance: "Admirável Mundo Novo". Com ele, Huxley viria a alertar sobre a manipulação inadequada das novas descobertas e no que isso poderia se tornar em um futuro próximo.
Huxley descreve um Mundo em que todas as pessoas são criadas em laboratório, e cada uma já nasce com suas características pré-estabelecidas, correspondentes à cada classe existente. O sexo como forma de reprodução foi abolido e virou apenas uma diversão banal praticada até por crianças. O povo é condicionado a viver feliz através de drogas e tratamentos de manipulação das consciências.
 
O Governo é mundialmente soberano e proíbe qualquer forma de manifestação cultural. O importante deixou de ser o Homem ou Deus e passou a ser a manutenção do poder de uma elite individualista e gananciosa. O ano em que a estória se passa não é especificado, o que dá uma impressão de que isso pode acontecer a qualquer momento.
 
É o encontro entre os moradores desse "Admirável Mundo Novo" e um remanescente do "antigo mundo" (morador de uma reserva "indígena" da época) que inicia a reflexão do livro. Será que este conceito de felicidade é válido? Sentimentos diferentes como a consternação e aflição não formam a verdadeira essência do homem? Como restaurar uma sociedade onde os próprios subjugados estão contentes com sua situação?
Em Admirável Mundo Novo o ser humano é apresentado como um animal que fala. Seus sentimentos são suprimidos e suas esperanças morrem antes de nascerem. Esse é o tipo de mundo futurista que nem o mais sádico dos homens almejaria para nossa raça.
 
Aldous Huxley usa nesse livro todo seu vanguardismo modernista e conduz a narrativa com destreza e sabedoria. Ele coloca o leitor dentro desse utópico futuro e faz uma crítica contundente ao indiscriminado e às vezes antiético uso da tecnologia e do poder que ela fornece.
 
Huxley deixa claro que as mentes podem ser facilmente manipuladas (coisa recorrente atualmente), e com isso alerta à sociedade sobre as drásticas conseqüências que tal ato pode ocasionar. Será que alguém vai querer viver nesse "Admirável Mundo Novo"?
 
Luís Cristóvão
Publicado no Recanto das Letras em 15/05/2008


minwidthh

publicado por animalsapiens às 11:26
tags:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Setembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO