Para falar de gente, de seres humanos, do bicho humano perfectível, apesar de tudo. Do Animal sapiens, mas a partir de agora do "Homo spiritualis", com sua fé e religiosidade muitas vezes confusa, gerando preconceitos, discriminações.

01
Mai 12

"Quando você sentir que a saudade se aproxima com a mesma intensidade das ondas quando se quebram na praia durante uma tempestade, vem... Aqui a escada, mesmo velha, ainda há de sustentar teus passos, os nossos abraços e resonhar os nossos sonhos.

Nossas jabuticabeiras estão tombadas de doces frutos, tão doces que o sal do mar se envergonha de salgar as pequeninas conchas azuis.

 

O azul se espalha pelo céu e pelo mar, toma conta de mim. Nas noites em que a solidão chega e abre o ferrolho da porta, estica a rede e adorna os meus cabelos com pequeninas estrelas, eu desço pela encosta da pedra e caminho pela praia buscando no longínquo infinito uma vela, um ronco de avião, um apito de trem e o badalar de um sino, depois de todo esse carinho eu durmo sob o frio da madrugada.

 

Nos primeiros passos do amanhecer levanto-me enxugo a brisa que molhou a mesa, passo um café, abro a janela para melhor saboreia-lo e assim fico esperando você surgir nesse mundo perdido nas águas.

 

O silêncio combina com este casebre-castelo, com a cobertura de palha gasta pelo tempo e pela força dos ventos, com os versos que escrevo nas corroídas paredes que guardam o sentimento de amor que tenho pelo horizonte, com os matinhos que se penduram entre a pedra e o precipício, altar sagrado do risco, do amor e da fragrância que guardo em meu corpo como a mais linda lembrança de nossas utopias."

 

Deusa Ilário

publicado por animalsapiens às 19:29

Maio 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
12

14
16
18

22
23

27
29


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO